Pergunta da Semana Esta é a semana número  43   (23/10 - 29/10/2017) Segunda-Feira, 23 de Outubro de 2017 - Hora: 13:09:30

  1. Pergunta da semana 09/10 - 15/10/2017


  2. Qual o tempo de segurança para se retirar um prato do microondas?

    Resposta:
    Os pratos podem ser retirados do microondas depois do último beep emitido.
    Mais importante é não ficar em frente do forno enquanto ele estiver ligado. Há muitos casos em que houve perda de mãos e braços, bem como queimaduras, por exposição à radiação deste tipo de forno.
    A radiação não fica residente, ela cessa depois que o forno é desligado, entretanto, pode haver vazamento dessas microondas, ou seja, elas conseguem atravessar as paredes do mesmo, enquanto ele estiver ligado.

    Recomenda-se ficar o mais longe possível do forno, enquanto ele estiver ligado.
    Manutenção periódica do forno também é desejável.

    Forno de Microondas





    27/08 - 02/09 de 2017
  3. Pergunta da semana 02/10 - 08/10/2017


  4. O checklist de uma empilhadeira deve incluir o trabalhador?

    Resposta:
    Eu considero que incluir o trabalhador no checklist está a favor da segurança. Legalmente não há nada que obrigue, nem ao menos que o checklist da máquina seja feito, mas fazer o checklist e incluir o trabalhados nos ítens do checklist, se ele tem treinamento, se usa os EPIs, se é pontual, etc, estará abrangendo maior numerode riscos e mitigando estes riscos.
    Partindo do princípio que quantos mais riscos checados, mais riscos investigados e mitigados, vale a pena.





    27/08 - 02/09 de 2017
  5. Pergunta da semana 25/09 - 01/10/2017


  6. Preciso de um técnico de segurança. Onde posso procurar?

    Resposta:
    Os sindicatos, realmente, são bons lugares para pedir informações. Muitos possuem um banco de cadastros de TSTs procurando emprego. Outro local para procurar é em agencias de emprego como o SINE.





    27/08 - 02/09 de 2017
  7. Pergunta da semana 18/09 - 24/09/2017


  8. Por que há rivalidade entre TSTs e ESTs?

    Resposta:
    A resposta mais certa, sobre isso, é que ninguém, de fato, sabe.
    Muitos dizem que é devido a quem poderia fazer a execução do PPRA, fonte de renda das duas classes. Acredita-se ainda que tudo se deva a rixa entre conselhos e sindicatos, a rixas partidárias e até mesmo rixas pessoais entre ESTs e TSTs, vistas claramente em vários veículos de comunicação dos quais participam, em alguns debates. Tenho notado, entretanto que estas rixas está diminuindo de 2000 para cá.





    27/08 - 02/09 de 2017
  9. Pergunta da semana 11/09 - 17/09/2017
  10. Pode o Engenheiro de Segurança discordar das Normas de Segurança?

    Resposta:
    O engenheiro tem uma responsabilidade legal no que assina. Se ele assina um PPRA ou outro documento qualquer, usando parametros em desconformidade com as normas, ele deve ter em mente que poderá responder legalmente por isso. Se estiver em conformidade com as normas, está ele isento de culpa.
    Desta forma, ele pode assumir a responsabilidade de um projeto, discordando das normas. Se o projeto passar por uma verificação do orgão competente, provavelmente vai ser vetado.
    Muitas vezes não há normas sobre determinado assunto. Este é um problema no qual o risco deve ser assumido pelo engenheiro.
    Assumir a responsabilidade pelos riscos é temerário. Justamente para evitar isso e padronizar os projetos e serviços é que existem as normas.




    02/09 - 09/09 de 2017
  11. Pergunta da semana 04/09 - 10/09/2017


  12. Posso usar aplicativos de celular, profissionalmente, na Segurança do Trabalho?

    Resposta:
    Há aplicativos para celular que simulam, ou melhor emulam, dosímetros, decibelímetros, luxímetros, etc. Estes aplicativos, para celular, podem fazer o trabalho dos equipamentos de medição, entretanto, eles não estão homologados e não são amparados pela legislação em vigor atualmente (data de 02/09/2017), nem podem ser aferidos pelo INMETRO. Portanto não se recomenda que sejam usados, pois pode ocorrer que os trabalhos feitos usando-se esses aplicativos sejam invalidados pelo órgão competente.

    Aplicativo de decibelímetro, para celular
      A responsabilidade do uso destes aplicativos recai sobre o profissional que os usa. O engenheiro de segurança pode até permitir o seu uso, mas fazendo isso estará assumindo toda a responsabilidade pelo uso do aplicativo, que pode estar em desconformidade com a lei.
    Nem tudo em SST é tecnologia, há muita coisa que também é prevista em normas e leis e deve ter amparo legal.
    Outra coisa, para trabalhos técnicos é necessário o certificado de calibração do equipamento, o que nem sempre é possivel em aplicativos.
    O uso educativo, em escolas e cursos, entretanto, pode ser de muita utilidade ao estudante.

    A tecnologia, anda a passos largos. Quem me garante, que esses aplicativos não venham a ser permitidos no futuro? É possível que até algum orgão governamental crie algum aplicativo para esse fim. Vamos esperar pra ver. Isso iria facilitar muito nosso trabalho e o TST/EST não precisaria comprar aparelhos caros.





    27/08 - 02/09 de 2017
  13. Pergunta da semana 28/08 - 03/09/2017


  14. Como faço para medir a dose de ruído se não tenho dosímetro?

    Resposta:
    O mais fácil é usar o dosímetro, no entanto, este é um aparelho muto caro e, por isso, de difícil aquisição.
    Se você não tiver em mãos um dosímetro, pode usar o decibelímetro e usar a fórmula abaixo, de acordo com a NR 15, ítem 6:

    6. Se durante a jornada de trabalho ocorrerem dois ou mais períodos de exposição a ruído de diferentes níveis, devem ser considerados os seus efeitos combinados, de forma que, se a soma das seguintes frações:



    Se exceder a unidade, a exposição estará acima do limite de tolerância. Na equação acima, Cn indica o tempo total que o trabalhador fica exposto a um nível de ruído específico, e Tn indica a máxima exposição diária permissível a este nível, segundo o Quadro deste Anexo.


    ANEXO Nº 1, da NR-15
    LIMITES DE TOLERÂNCIA PARA RUÍDO CONTÍNUO OU INTERMITENTE